Psicanálise em Pauta

Winnicott e o menino resiliente

(Por: Walter J. Martins Migliorini)

Eu relutei em pensar e colocar em palavras algo sobre a resiliência. Algumas ideias surgiam, leituras e, no entanto, havia uma espécie de obstáculo. Tocar no assunto exigia uma espécie de profundidade de alma difícil de alcançar. Minha única certeza era o desejo de abordar o assunto por meio de uma história vivida. O texto só começou a brotar quando me dei conta de que uma característica essencial dos resilientes é a própria possibilidade de transformar em narrativa uma experiência brutal de sofrimento. Foi necessário então que, antes de contar uma história, eu olhasse de frente para a minha própria história.

Itinerâncias

Eugenia: a mente sob as leis da hereditariedade?

(Por: Tamara Prior)

Durante a primavera de 1927 um acontecimento marcou a história da pequena cidade de Charlotesville, no Estado da Vírgina (Estados Unidos): após um polêmico julgamento o juiz Oliver Wendell Holmes Jr condenou- para genuíno contentamento de muitos- a jovem Carrie Buck a submeter-se a retirada das trompas de falópio, tornando-se, assim, estéril. O motivo era claro: proteger o futuro da humanidade de seus genes portadores de imbecilidade, esta caracterizada como um espectro que envolvia de supostas capacidades diminuídas ao comportamento sexual inadequado.